Solidão

A solidão é uma das causas do sofrimento humano e um dos males mais graves dos tempos atuais. O mundo se moderniza, as pessoas se conectam através das novas tecnologias, mas estão cada vez mais solitárias; algumas, por escolha, outras, por motivos alheios à sua própria vontade. A solidão se caracteriza por um vazio existencial causado pela falta de relações significativas com pessoas que nos são preciosas e importantes. Mas não é apenas a ausência de pessoas que faz de alguém um solitário, pois muitos podem estar cercados por uma multidão e, ainda assim, se sentirem sozinhos.

É comum a solidão estar presente nos orfanatos, nos hospitais, nos asilos, entre imigrantes, soldados, solteiros, viúvos e divorciados. No entanto, a solidão também se faz presente nos grandes centros urbanos, onde muitos estão nos bares, nas festas, cercados de pessoas, mas sentindo-se solitários. Existe um tipo de solidão ainda mais nocivo, que ocorre quando uma pessoa vive em uma casa com muitas outras, mas, ainda assim, se sente isolada.

Com o avanço das mídias sociais, as pessoas têm a ilusão de que estão mais próximas umas das outras, mas essas mídias têm se revelado um verdadeiro perigo para os relacionamentos. Nos dias de hoje, por exemplo, um fato que tem se tornado muito comum são famílias inteiras – pai, mãe, filhos – acometidos pela solidão e pela falta de convivência no lar. Pessoas que passam a buscar, nas redes sociais, o relacionamento que não têm em casa.

Fomos criados como seres sociais e, viver em isolamento provoca tristeza, depressão e angústia.

Na Bíblia, temos vários exemplos de personagens que enfrentaram a solidão. Tal como, Jó, que perdeu todos os seus bens, seus filhos, sua saúde e, para piorar, não teve o apoio de sua mulher em sua adversidade. Outro que provou a fundo a solidão foi o rei Davi, que logo depois de ser ungido rei de Israel, precisou fugir para uma caverna úmida para se salvar da ira de Saul. Também Sansão, escolhido para ser juiz em Israel, teve seus olhos furados e foi levado cativo pelos filisteus, sentindo-se, por isso, sozinho e indefeso. Além desses, muitos outros, como Daniel, na cova dos leões; Elias, no ribeiro de Querite; e João, na ilha de Patmos, provaram da solidão.

No entanto, a maior das solidões foi mesmo experimentada por Jesus, tanto no Jardim do Getsêmani, quanto na cruz do calvário, onde Ele ficou completamente só.
O que, porém, muitas pessoas não sabem, é que existe o isolamento involuntário, que é a solidão, sobre a qual já falamos; e o isolamento voluntário, conhecido como solitude. Se solidão é sentir-se só, a solitude é querer estar só, a fim de que, longe de ruídos externos, possamos ouvir nossa voz interior. O próprio Jesus experimentou momentos de solitude, quando buscava ficar sozinho para orar.

No entanto, seja qual for o tipo de isolamento que você esteja vivendo, o que importa é saber que o Senhor Jesus sempre estará ao seu lado. Ele mesmo prometeu que nunca nos deixaria sós, pois estaria conosco até a consumação dos séculos (Mateus 28.20b).

Pr. Jorge Linhares
Adaptado por Ivany Rocha, do livro “Solidão”, (Jorge Linhares)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FRASES DO TWITTER DO APÓSTOLO RENÊ TERRA NOVA

AMIZADE VERDADEIRA - I SAMUEL 18:1-5