A música está presente em todo lugar

Em minha vida, música e história caminham juntas. Quando nasci, a música já fazia parte do contexto de vida da minha família. Meu pai era violonista e regente de coros evangélicos, e minha mãe, cantora. Posso me considerar praticamente nascido na música, por um inesquecível fato. Certo dia, quando minha mãe, grávida de mim, cantava em um coro regido por meu pai, ela entrou em trabalho de parto e foi levada às pressas para o hospital onde nasci. Literalmente, quase que nasci na música e na igreja, ao mesmo tempo. De lá para cá, são mais de 40 anos de música e bastante conhecimento acumulado, que compartilho com as novas gerações.

Durante os últimos dois séculos, 19 e 20, aconteceram transformações maravilhosas na ciência e na cultura e, tudo isso, a uma velocidade inimaginável, até pouco tempo atrás. Cada transformação foi criando fundamentos para a próxima, e assim por diante, até chegar aos nossos dias, em que é impossível prever a próxima evolução. Independentemente disso, em todas essas transformações, a música continua presente, sendo, em várias delas, slogan e figura perpetuadora dos momentos que serão legados às futuras gerações. A incrível música, que teve Jubal como seu precursor (Gênesis 4.21), mas que existia antes da criação do universo e está presente na Terra como um tipo de arte sem limites, por ser, praticamente, um pano de fundo na História do homem.

Todos os grandes movimentos que influenciaram, negativa ou positivamente, a História universal, tiveram a música em seu contexto. Nas guerras, a música sempre é utilizada para entreter, mas também para estimular os soldados durante as batalhas. A música está presente no culto a Deus e também no culto aos deuses, assim como nas ruas e em movimentos revolucionários. As notas musicais fazem parte da cultura de todos os povos. Você pode checar: não existe sequer uma, entre as 24.000 etnias mundiais, que não tenha a sua própria música. Cada nação da Terra tem um hino instituído, um estilo musical próprio e seus instrumentos característicos. A música é tão forte na vida do ser humano, que existem etnias que fazem cerimônias cantadas, que chegam a ter 12 horas ininterruptas de música, como é o caso dos índios Motilones, da Venezuela. Acredite, mas durante essas 12 horas, eles não falam, apenas cantam o que querem dizer. Aliás, para entender tais coisas, foi criada até uma ciência chamada Etnomusicologia, que estuda assuntos ligados à música dentro das etnias.

A música é tão importante, que Deus sempre a utiliza. Na Bíblia, ela é mais do que uma simples manifestação artística. Moisés e o povo de Israel cantavam (Êxodo 15.1). Miriã, irmã de Moisés, cantava e tocava (Êxodo 15.20-21). Davi cantava (2Samuel 22.1). Salomão cantava e era compositor (2Reis 4.32). Jesus e os seus discípulos cantavam (Mateus 26.30). Paulo e Silas cantavam (At 16.25).

Em nossos dias, existem vários modos e veículos para que a música chegue até as pessoas: rádio, televisão, cinema, CD/DVD, som ambiente nos estabelecimentos comerciais, templos, encontros, festas, etc. Toda a produção cinematográfica é vestida de música. Qual propaganda não tem música? O mercado da música é um dos mais lucrativos do mundo. Todas as pessoas, de alguma forma, gostam de música e sempre param para ouvi-la. A música muda até a opinião e o estado de espírito de alguém, pois ela pode, tanto fazer sorrir, quanto fazer chorar, além de também ser capaz de criar ambiente propício para um romance. Aliás, é quase impossível passarmos pela vida sem que uma música nos toque a alma ou marque fatos cotidianos. Entre as artes, a música, talvez, seja a mais popular expressão do sentimento humano. Ela está disponível ao príncipe e ao plebeu, ao abastado e ao pobre, ao crédulo e ao incrédulo. Por isso, ela está presente na Igreja, como veículo de comunicação, de integração, de adoração e de comunhão.

Enfim, sem a música, a nossa vida não seria tão alegre e inspirativa. Sem a música, os nossos cultos seriam sem sal, a viagem de carro seria monótona, o filme ficaria sem graça, o romance sem uma linda canção para marcar os momentos inesquecíveis, as festas sem brilho e as famílias sem muitas histórias interessantes, como a dos meus pais, que me influenciaram musicalmente e me conduziram pelos caminhos musicais, até que eu pudesse voar sozinho. Fiz o mesmo com os meus filhos que, diga-se de passagem, são excelentes músicos. Em minha casa, a música tem sido ponto de união, motivo de parcerias, razão de conversas e fonte de muitas alegrias. Toda essa história, que continua a ser construída, começou dentro de casa, claro, comigo e com minha esposa ensinando aos nossos filhos não apenas os primeiros passos musicais, mas também, a disciplina e o entusiasmo para uma jornada musical ilimitada. Para isso, tivemos que nos esforçar, investir tempo e dinheiro, matricular os nossos filhos em escolas de música e incentivá-los a estudarem com afinco, para que aprendessem também com outros professores e vivenciassem, assim, novas e diferentes experiências. Hoje, quando nos reunimos para tocar, cantar e prosear, não faltam emoções, risadas e causos… muitos causos, afinal, música e história caminham juntas.

Pr. Atilano Muradas
Fonte: http://getsemani.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AMIZADE VERDADEIRA - I SAMUEL 18:1-5

FRASES DO TWITTER DO APÓSTOLO RENÊ TERRA NOVA