MORDOMIA DA INFLUÊNCIA

Sede meus imitadores, como também eu de Cristo". (1 Co 11.1)
Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam." (Fl 3.17)
VIVEMOS NUMA SOCIEDADE ONDE AS INFLUÊNCIAS DITAM AS REGRAS, E O GRANDE PERIGO É NOS AMOLDARMOS ÀQUELAS QUE NOS PREJUDICAM. ENTRETANTO, PODEMOS SER INFLUÊNCIA POSITIVA NA VIDA DAS PESSOAS, E TAMBÉM VIVER A MODOMIA DAS BOAS INFLUÊNCIAS.
Partimos do entendimento de que influência não é obrigação, mas que pode interferir no comportamento de uma pessoa.

Vivemos em uma sociedade constituída de várias classes sociais, as quais têm a tendência de conduzir as pessoas de acordo com a maré, e as vezes consegue. E isso pode trazer transtornos irreparáveis. Sem considerar os aspectos da Psicologia, sabemos que nossas atitudes e ações são desenvolvidas através de duas principais vertentes: a personalidade e o caráter.

1. COMO CARACTERIZAMOS A INFLUÊNClA
Salvo exceções, o homem é um ser social. Todos possuímos uma personalidade que determina nossa maneira natural de ser; por exemplo, o extrovertido, expansivo, falador, e o introvertido, pacato e quieto. Alguns gostam mais daqueles que dominam o ambiente, enquanto outros preferem os contemplativos.
Então, quando saímos da vertente da personalidade com que todos nascemos, surge a impactante formação do caráter. Ao contrário da personalidade, o caráter é formado desde a infância, podendo ter:
Bons atributos: Honesto, fiel, generoso, correto, justo, imparcial.
Maus atributos: Grosseiro, rude, agressivo, desonesto, leviano, perverso.

a) Somos seres que influenciam

De qualquer forma, em todo momento e em algum lugar estaremos influenciando as pessoas.

O apóstolo Paulo relata a grandeza da influência, dizendo que todos estão sujeitos ao seu exercício e ao seu recebimento (Rm 14.7).

Jesus falou sobre a responsabilidade de sermos influência para a glória do Reino. "Não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte... Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens." (Mt 5.4-16).

b) Sempre estaremos sujeitos à influência

Enquanto vivermos nesta terra, estaremos influenciando positivamente ou negativamente àqueles que convivem conosco. É muito gratificante ser lembrado por boas influências. Em Hebreus 11.4 lemos algo precioso sobre Abel: pela fé, "depois de morto, ainda fala"; bem diferente do rei de Israel, chamado Jorão que, quando morreu, seus súditos sequer queimaram aromas, como haviam queimado para o seu pai. A Bíblia diz sobre Jorão: "E foi-se sem deixar de si saudades" (2 Cr 21.20).

2. JESUS: A MAIOR DAS INFLUÊNCIAS

a) Desceu do trono de glória (Fp 2.5-8);

b) Foi tentado em todas as áreas, porém, sem pecado (Mt 4; Hb 4);

c) Obediente até a morte (Fp 2);

d) Não murmurou (reclamação);

e) Concedeu perdão;

f) Não se submeteu a sistemas humanos (mundanos);

g) Não se curvou aos determinantes religiosos (ex. Fariseus);

h) Não fez acepção de pessoas;

i) Sempre levava transformação por onde passava.

4. PRINCIPAIS ÁREAS DE INFLUÊNCIA

Quanto maior for o nosso grau de influência, maior será nosso compromisso de responsabilidade, que será facilmente visto na relação familiar, com os amigos, na igreja e em outras entidades onde participamos mais intensamente.

Algumas áreas de influência:

a) Na família

Precisamos observar diariamente o que estamos investindo para sermos a maior e melhor influência para nosso cônjuge, nossos filhos e outros parentes. Responsabilidades de suprimento, carinho e afeto, são algumas das inegociáveis manifestações que devemos ter com nossos familiares. Querendo ou não, as atitudes de caráter e os traços de personalidade serão claramente percebidos nos relacionamentos mais próximos.

b) No ambiente de estudo

Como cristãos, a mordomia da influência deve ser constantemente buscada visando o melhor para nossos colegas de escola, ou no local de estudo. Infelizmente, muita gente impede que sua marca como cristão possa influenciar, ajudar e mudar a vida de colegas do dia a dia.

c) Nos negócios

Para o mordomo de Cristo, não há distinção entre sagrado e secular. Tudo é sagrado, porque tudo pertence a Deus, e tudo deve ser usado para Sua glória e para a extensão do Seu reino.

d) Na igreja

Como bons despenseiros da multiforme graça de Deus" (1 Pe 4.10).

        1. Testemunho exemplar;

        2. Espírito cooperativo;

        3. Contribuição prazerosa;

        4. Disposição de perdoar uns aos outros;

        5. Exercitar os Dons Espirituais, Ministeriais e Serviços;

        6. Atitude de submissão aos líderes;

        7. Disposição para servir.

e) Na sociedade

Nosso constante objetivo deve ser impactar o mundo com as verdades bíblicas presentes em nosso modelo de vida cristã, sendo luz do mundo e sal da terra. Jesus orou ao Pai: "Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal.'' (Jo 17.15). E João disse: "Não são do mundo, assim como eu não sou do mundo". (Jo 17.14).

Não devemos viver uma vida que não influencie as pessoas ao nosso redor.
Quem você está influenciando? E de que forma? Será que estamos sendo promotores de Paz, alegria, comunhão e vida entre aqueles com quem convivemos? A HORA É AGORA.

Por Luiz Dirceu F. dos Santos

Fonte: http://www.batistadopovo.org.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FRASES DO TWITTER DO APÓSTOLO RENÊ TERRA NOVA

AMIZADE VERDADEIRA - I SAMUEL 18:1-5