Graça, favor imerecido

O que é graça? É favor imerecido. Isso por si só nos torna totalmente dependentes de Deus, pois tudo que somos e temos provém Dele. Foi Ele quem nos amou primeiro e se entregou por nós na cruz, na pessoa de Seu Filho, Jesus. Tudo que recebemos é pela graça, não por merecimento.
Nada, portanto, substitui a cruz. Por isso, é tão delicado essa questão da superstição, uma vez que superstição é atribuir poderes sobrenaturais a coisas naturais. E a fé genuína, focada e firmada na cruz, nada tem a ver com superstição. Superstição não substitui a cruz.

A resposta de Deus para o homem é apenas a cruz, a obra do Calvário. Tudo aquilo que precisamos, Jesus conquistou para nós. Se você recebeu algo que não venha Dele, tome cuidado, pois você pode estar recebendo coisas erradas, mesmo que tenha sido entregue com a melhor das intenções. O que se acredita ser alimento, pode ser veneno.
Sempre guarde no seu coração isso: a nossa fé é essa fé livre, genuína, descontaminada, uma fé pela graça. O que nos une ao Senhor não são meus méritos, mas exatamente o caminho que Ele abriu pela graça. Ele fez essa ponte (a obra do Calvário) para podermos nos achegar a Ele. Não é o nosso esforço para achegar a Ele.
Falar de graça divina é falar de liberdade, mas também de acessibilidade, pois uma vez que não foi por iniciativa nossa, mas dEle que fomos aceitos, podemos ser quem somos em Jesus, pois fomos comprados por Seu sangue. E é também pelo Seu sangue, por sua obra na cruz do Calvário, é que temos a autoridade para lidarmos com tudo aquilo que se opõe a nós em termos de ataques e contra-ataques do diabo e em termos de nossa carnalidade. Tudo começa e termina na cruz.
Muitas podem ser as definições da palavra graça, que vão desde aquilo que é cômico, engraçado, que faz rir, passando por algo que uma pessoa recebe gratuitamente (benevolência), algo que alguém faz com leveza e maestria (graciosidade) e indo até o aspecto teológico, como aquilo que Deus concede aos homens e que os torna capazes de alcançar a salvação.
Biblicamente falando, à luz da Palavra, graça é favor, dádiva, imerecidos da parte do Senhor para conosco. Não depende de mérito ou atitudes que tenhamos ou não, algo que façamos ou deixemos de fazer. Tem a ver, contudo, com o amor do Pai, amor esse incondicional da parte Dele. Esse amor foi manifesto na pessoa de Seu Filho Jesus.
Em toda a Escritura vemos a definição e a manifestação da graça. Veja o que o apóstolo diz, falando acerca da obra de Jesus na cruz como prova maior de seu amor e sua graça:“Sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus” (Romanos 3.24).
Outro aspecto que define a graça é a capacitação. Paulo assim escreve em Romanos 12.3: “Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um”.
Havia sim essa graça, essa capacitação, sobre o apóstolo, para que ele cumprisse com sua missão. Ainda falando sobre graça como sinônimo de capacitação, lemos em 2 Coríntios 1.12:“Porque a nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência, de que, com santidade e sinceridade de Deus, não com sabedoria humana, mas, na graça divina, temos vivido no mundo e mais especialmente para convosco”.
Muitas são as definições da graça de Deus. Escrevendo sobre o tempo do fim e as reações em meio ao sofrimento, Pedro fala da “multiforme graça de Deus”: “Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus” (1 Pedro 4.10).
Aproprie-se da graça divina, exerça sua autoridade em Cristo Jesus e seja mais que vencedor.
Deus abençoe!

Fonte: Lagoinha.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AMIZADE VERDADEIRA - I SAMUEL 18:1-5

FRASES DO TWITTER DO APÓSTOLO RENÊ TERRA NOVA