Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2015

Os alicerces da unidade cristã

Imagem
A unidade espiritual da igreja é uma obra exclusiva de Deus. Não podemos produzir unidade; apenas mantê-la. Todos aqueles que nasceram de novo fazem parte da igreja e seus membros devem demonstrar aos olhos do mundo, de forma visível essa unidade interna. A desunião dos crentes, portanto, é uma ameaça à igreja e um escândalo diante do mundo. Essa atitude desonra a Cristo e a própria igreja. Quando Paulo escreve sua carta aos Filipenses faz uma transição dos inimigos externos (Fp 1.28), para os perigos internos (Fp 2.1-4). Paulo está deixando a ameaça de um mundo hostil, para tratar de um problema igualmente ameaçador, o da comunidade dividida. Paulo alerta para o fato de que uma igreja dividida é uma presa fácil no caso de um ataque frontal da sociedade externa. Assim, não basta apenas ficar firme contra os perigos que vêm de fora; é preciso acautelar-se contra o perigo de esboroar-se por causa das divisões internas. Para o apóstolo Paulo “uma santa e una igreja” não era apenas um ar…

Uma grande oportunidade!

Imagem
Acredito que todos nós temos oportunidades no decorrer da vida. Grandes, pequenas, as que fazem pouca diferença e as que conseguem definir o sucesso. As oportunidades acontecem! Entretanto, elas são passivas e esperam uma ação em resposta, pois somente conseguiram definir o êxito se forem aproveitadas. Aproveitar foi a escolha daquele homem que não enxergava nada há muito tempo, quando ouviu que Jesus passava por ali na mesma rua em que pedia esmolas. Imediatamente começou a gritar: Jesus, filho de Davi, tenha misericórdia de mim! Gritava tanto que incomodava a multidão. E assim, além do pensamento da certeza daquela oportunidade o que ele ouvia era: cale-se você está importunando! Mesmo assim não se calou, continuou clamando como se aquela fosse sua última chance de recuperar um bem perdido há tanto tempo. Ele sabia que Jesus passaria, seguir seu caminho e talvez não passasse por ali de novo. Ele sabia que não podia perder aquela chance. Gritou, gritou até que atraiu a atenção de Je…

Disciplina e resistência

Imagem
Algumas pessoas têm alvos, mas se perdem no caminho, não sabem como chegar lá. São idealistas, com convicções superficiais, e pouco pragmáticas. Tendem a ser pessoas frustradas. Outras vivem num círculo vicioso de atividades sem saber para onde estão indo, simplesmente se habituaram a fazer o que fazem. São pragmáticas, superficiais e pouco idealistas. Tendem ao tédio. Frustração e tédio são marcas da vida de muitos cristãos modernos. A jornada cristã requer as duas coisas: um ideal (visão) e um caminho (missão). Paulo disse ao rei Agripa que não foi desobediente à visão celestial. Ele tinha um alvo e caminhou, resolutamente, em direção a ele. Uma preocupação de Moisés em relação ao povo de Deus era o risco de se desviarem dos caminhos propostos por Deus, de não ouvirem mais a sua palavra e acabarem sendo seduzidos por outros deuses. Encantaram-se com a paisagem e perderam o destino. Para Moisés, permanecer em Deus e no caminho proposto por ele era a única garantia de vida.

O chamado e a escolha de Deus

Imagem
Portanto, irmãos, empenhem-se ainda mais para consolidar o chamado e a eleição de vocês, pois se agirem dessa forma, jamais tropeçarão. (2 Pedro 1.10) Apesar de a vocação a que Pedro se refere aqui ser forte o suficiente em si mesma, ela não parece forte e firme o suficiente para você. Isso porque você ainda não está certo de que ela diz respeito a você. Assim, Pedro deseja fazer com que essa vocação e eleição pareçam mais firmes com boas obras.

Congresso de Jovens - Ancorados e Encorajados

Imagem

Que cargo você ocupa na igreja?

Imagem
O livro de Atos é um registro da história da igreja apostólica, desde seu nascimento em Jerusalém até sua chegada a Roma, a capital do império. Nessa trajetória muitas lutas foram travadas, muitas perseguições foram enfrentadas, mas, também, muitas vitórias foram celebradas. No capítulo 11 de Atos, nos versículos 1 a 26, Lucas relata o testemunho de Pedro aos irmãos da igreja de Jerusalém, como Deus abrira a porta do evangelho aos gentios. Segundo Warren Wiersbe, ilustre comentarista bíblico, esse relato nos enseja algumas preciosas lições.

ANCORADOS E ENCORAJADOS

Imagem
SÁBADO



Apossando da Minha Restituição

Imagem
Texto: 2Rs 8.1-6
Introdução: Esse não é um tempo de perdas, mas de restituição! A igreja de Jesus Cristo começou a viver um tempo profético de restituição e Deus neste tempo quer nos honrar através dos tesouros sobrenaturais. Nada ficará nas mãos de Satanás, Deus é fiel e se empenhará para que a sua palavra se cumpra nas nossas vidas, porque o tempo de cantar e dançar chegou, Aleluia!  Mas para que isso aconteça nas nossas vidas, precisamos agir como a mulher sunamita agiu. Ela foi corajosa, determinada e confiante naquilo que ela queria diante do rei Jorão, e teve todos os seus bens restituídos. Vejamos:

CONGRESSO DE JOVENS - ANCORADOS E ENCORAJADOS

Imagem

Graça, favor imerecido

Imagem
O que é graça? É favor imerecido. Isso por si só nos torna totalmente dependentes de Deus, pois tudo que somos e temos provém Dele. Foi Ele quem nos amou primeiro e se entregou por nós na cruz, na pessoa de Seu Filho, Jesus. Tudo que recebemos é pela graça, não por merecimento. Nada, portanto, substitui a cruz. Por isso, é tão delicado essa questão da superstição, uma vez que superstição é atribuir poderes sobrenaturais a coisas naturais. E a fé genuína, focada e firmada na cruz, nada tem a ver com superstição. Superstição não substitui a cruz.

A vitória sobre a morte

Imagem
Cristo Jesus… tornou inoperante a morte e trouxe à luz a vida e a imortalidade por meio do evangelho. (2 Timóteo 1.10) A mais fantástica de todas as afirmações cristãs é que Jesus Cristo ressuscitou dentre os mortos. Ela força a nossa credulidade ao limite. Os seres humanos têm tentado da maneira mais ingênua possível desafiar e negar a morte. Contudo, somente Cristo afirmou tê-la conquistado, ou seja, tê-la derrotado em sua própria experiência e destruído seu poder sobre os outros. Em nossos dias, ao menos no Ocidente, ninguém exemplifica a angústia generalizada, e particularmente o medo da morte, de maneira mais tragicômica que o cineasta Woody Allen. Ele considera a morte e a decomposição com terror. Ela se tornou uma obsessão para ele. Na verdade ele ainda consegue fazer piada sobre o assunto. “Não que eu tenha medo de morrer, só não quero estar lá quando acontecer” — graceja. Ele chama a morte de algo “absolutamente assombroso”.
Imagem
Durante o tempo em que me preparava ao ministério pastoral, uma amiga fez a seguinte observação: “Davi, você gosta de estudar, cuidar e pregar; mas existe algo importante que você não sabe. Você nunca aprendeu a descansar. Se não aprender isto, a consequência será a estafa.”. Percebi quão preciosas eram aquelas palavras! Tentando aprender sobre descanso, encontrei a excelente obra de Marva Dawn, Keeping the Sabbath Wholly, que busca aplicar o antigo mandamento de “guardar o sábado para o santificar” (Êxodo 20:8) aos cristãos contemporâneos.

Quando ter pouco é melhor do que muitos rendimentos

Imagem
O povo brasileiro anda estupefato com os escândalos financeiros que brotam como cogumelo em nossa nação e desidratam os cofres públicos e deixam anêmica a nossa economia. A nação está sendo saqueada sem piedade, por aqueles que pousam de beneméritos do povo. A busca insaciável pelo lucro a qualquer custo tornou-se uma doença crônica e endêmica. É nesse contexto que a palavra de Deus adverte: “Melhor é o pouco, havendo justiça, do que grandes rendimentos com injustiça” (Pv 16.8). A riqueza é uma bênção de Deus se granjeada com honestidade. É Deus quem fortalece nossas mãos para adquirirmos riquezas. A prosperidade que Deus dá não traz em sua bagagem o desgosto. Porém, é um terrível engano negociar princípios absolutos e vender a consciência para granjear fortunas e acumular bens.

Como nos conduzir para a vontade de Deus?

Imagem
“Se não tropeça em palavra o tal varão é perfeito capaz também de refrear todo o corpo” (Tg 3.2). Neste texto Tiago nos diz que quem não tropeça em palavra é perfeito. A palavra ‘perfeito’ nesse contexto não indica alguém “sem defeito”, ela indica maturidade. Se alguém não tropeça em palavra, o apóstolo está dizendo que é maduro e capaz de refrear todo o corpo. A maturidade se identifica pelo falar. É interessante ver a maturidade relacionada à correção no falar e também ao controle de todo o corpo. Tiago nos diz que quem não tropeça no falar consegue dominar também o seu corpo. Instintos, desejos e ações de nosso corpo podem ser controladas se dominamos nossa boca. Para reforçar e continuar a ideia, o apóstolo usa uma figura no versículo seguinte: “Ora, se pomos freio na boca dos cavalos, para nos obedecerem, também lhes dirigimos o corpo inteiro” (Tg 3.3) Tiago está nos vendo como quem está acima do cavalo. O freio é o controle localizado em nossa boca e o cavalo simboliza o nosso …

Toque o mundo inteiro pela oração

Imagem
A oração tem um caráter universal. Você pode tocar o mundo inteiro pela oração. O apóstolo Paulo trata desta verdade com diáfana clareza (1Tm 2.1-3). 1. A PRIMAZIA DA ORAÇÃO (1TM 2.1A). “Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas…”. As palavras próton pánton “antes de tudo”, indicam primazia de importância e não de tempo. A oração não é um apêndice no culto, mas parte vital dele. Os apóstolos entenderam a primazia da oração, quando decidiram: “Quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra” (At 6.4).

Características da Vida no Deserto

Imagem
Texto: “Recordar-te-ás de todo o caminho pelo qual o Senhor, teu Deus, te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias ou não os seus mandamentos”(Dt 8.2).
Introdução: Será que você tem vivido no deserto e ainda não compreendeu? Abaixo algumas características inerentes à vida neste local tão inóspito.

Amor, a verdadeira marca do cristão

Imagem
O apóstolo Paulo, em 1 Coríntios 13, fala sobre três aspectos do amor, a verdadeira marca do cristão. Vamos examinar esses três aspectos: Em primeiro lugar, a superioridade do amor (1Co 13.1-3). Depois de tratar dos dons espirituais, Paulo aborda um caminho sobremodo excelente. Em 1 Coríntios 13.1-3, fala da superioridade do amor sobre os dons espirituais. O que caracteriza a verdadeira espiritualidade é amor e não os dons. A igreja de Corinto tinha todos os dons, mas era imatura espiritualmente. Conhecemos um cristão maduro pelo fruto do Espírito e não pelos dons do Espírito. No texto em apreço, Paulo diz que o amor é superior ao dom de variedade de línguas (1Co 13.1), ao dom de profecia (1Co 13.2), ao dom de conhecimento (1Co 13.2), ao dom da fé (1Co 13.2), ao dom de contribuição (1Co 13.3) e até mesmo ao martírio (1Co 13.3). Sem amor os dons podem ser um festival de competição em vez de ser uma plataforma de serviço. Sem amor nossas palavras, por mais eloquentes, produzem um som c…

Não corra atrás do vento

Imagem
Já ouvi dizer que a vida sem sonhos não faz sentido, que viver sem objetivos não tem graça. De uma certa forma, acredito nisso. A maioria das pessoas – ou talvez todas – tem desejos, seja de se casar, formar uma família, comprar a casa própria, um carro novo, ter um bom emprego e estabilidade financeira, fazer muitas viagens, adquirir novos bens, entre outras coisas. Isso é bom, até certo ponto. Todas as pessoas deveriam ter sonhos, sim. Quando encontramos alguém que não tem desejos na vida – o que é raro – ficamos perplexos: como assim viver sem objetivos? Mas, para falar a verdade, não sei o que é pior: viver sem sonhos ou viver correndo louca e desesperadamente atrás da realização deles sem sequer pedir a opinião de Deus.

Socorro Seguro

Imagem
Texto: “Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações. Portanto, não temeremos ainda que a terra se transtorne e os montes se abalem no seio dos mares; ainda que as águas tumultuem e espumejem e na sua fúria os montes se estremeçam” (Sl 46.1-3).
Introdução: Quem conhece Deus como Pai e ajudador, não precisa ter medo de nada.

Um coração sincero diante de Deus

Imagem
“Disse-lhe Pedro: Por que não posso seguir-te agora? Por ti darei a minha vida. Respondeu-lhe Jesus: Tu darás a tua vida por mim? Na verdade, na verdade te digo que não cantará o galo enquanto não me tiveres negado três vezes” (João 13.37,38) Nos versículos finais do capítulo 13 de João lemos a história real de um homem cujo coração era sincero, mas a carne fraca. Em um momento Pedro afirma que seguirá Jesus até o fim e por Ele até daria a vida; no outro, quando as coisas “esquentaram”, ele negou seu Mestre.

Não andeis ansiosos

Imagem
A ansiedade é um sentimento muito difícil de lidar e estamos propensos a tê-la em doses normais ou anormais. O termo “ansiedade” tem várias definições nos dicionários: Que sofre pela espera, pessoa inquieta, aflita, desejo contínuo de certo objeto, perturbação do espírito causada pela incerteza. Podem trazer desconforto físico e psíquico. Muitos procuram tratamento médico para lidarem com esse sintoma. Há um pastor, cujas pregações gosto muito de ouvir, que diz que, um pouco de ansiedade é primordial, nos impulsiona a sermos dinâmicos, a usarmos nossa mente, imaginação e ainda faz com que lutamos e corremos atrás dos nossos objetivos. Entretanto, a ansiedade exacerbada, aquela que traz preocupação excessiva e medo, pode também produzir um impacto no cérebro, ocasionando deformações químicas e físicas, fazendo com que a pessoa só veja o que dá errado e nunca o que pode dar certo.

Rede de Mulheres

Imagem

CULTO DE SANTA CEIA - RENOVANDO A ALIANÇA ATÉ QUE ELE VENHA......

Imagem

A oração que traz resultados

Imagem
Texto: II Crônicas 6:12-31, 7:1-4 e 14
Textos complementares: Lc 11:1, Lc 18:1, I Ts 5:17, Ef 6:18 e Jd 20
Introdução: Há muitas maneiras de orar descritas na palavra do Senhor. No texto que vamos estudar, Salomão, pôs-se de joelhos (v.13), elevou sua voz perante toda a congregação e falou com Deus. Precisamos ter atitude diante do Pai, lançar fora toda covardia e, falar com Deus, independente de quem esteja ouvindo, pois quando oramos, falamos com o Pai e não com os homens.

A Tribulação Tem Data Marcada Para Terminar

Imagem
“Isto diz o primeiro e o último, que foi morto, e reviveu: Conheço as tuas obras, e tribulação, e pobreza (mas tu és rico), e a blasfêmia dos que se dizem judeus, e não o são, mas são a sinagoga de Satanás. Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O que vencer não receberá o dano da segunda morte.” Ap 2.8-11

O que estou deixando de ser por me julgar inferior?

Imagem
Quando Deus chamou Gideão, Moisés e Jeremias eles relutaram com base num senso de inferioridade baseado em suas fraquezas. Gideão disse que era o menor de sua casa, Moisés afirmou que não sabia falar bem e Jeremias disse que não passava de uma criança (Jz 6.15; Êx 4.10; Jr 1.6). Esses homens tiveram que superar esse senso de inferioridade para que pudessem atender ao chamado de Deus para a vida deles.

O desafio do crescimento integral

Imagem
“E crescia Jesus em sabedoria, em estatura e em graça para com Deus e os homens” (Lc 2.52). Pouco se sabe sobre a infância de Cristo, mas ficou registrado que o seu crescimento era pleno e saudável (Lc.1.80; 2.40). O desenvolvimento humano precisa ser físico, intelectual, social, emocional, espiritual. O crescimento parcial pode ter consequências ruins. As atrofias mais evidentes são físicas e mentais. Entretanto, existem outras, tais como: teoria sem prática; fé sem obras; trabalho sem conhecimento; conhecimento sem caráter; riqueza sem prudência; poder sem amor; autoridade sem sabedoria ou zelo sem entendimento (Tg 2.26; Rm 10.2). Algumas dessas combinações podem ser tão perigosas quanto aceleração sem freio. De situações assim podem surgir o radicalismo e os abusos de toda sorte.

O pão nosso de cada dia…

Imagem
Durante muito tempo achei esta súplica meio fora de lugar na oração do Senhor. Minha maior dificuldade vinha de uma sensação hipócrita de saber que este pão encontra-se estocado na despensa de minha casa. Para as famílias que não sabem o que terão para o almoço, esta súplica parece fazer sentido, mas para mim e tantos outros que entram nos supermercados e abastecem suas despensas para os próximos quinze ou trinta dias, não faz muito sentido pedir pelo “pão nosso de cada dia”. Sabemos que ele já está garantido na mesa hoje, amanhã ou na semana que vem. Por que então orar pelo “pão de cada dia”?

Felizes para sempre

Imagem
Sempre quando eu me machucava, quando criança, algum adulto dizia “quando casar sara”. Muitas vezes depois de um tombo, do joelho ralado, do dedão esfolado no asfalto, ou após uma queda de bicicleta alguém dizia “quando casar sara”. Levei a sério essa frase. Tive diante de mim vários tipos de casamentos. Vi diante de mim casamentos castradores, onde os cônjuges se sentiam podados em seus sonhos e desejos. Vi casamentos que aprisionava os cônjuges, onde até os filhos se sentiam presos diante de um pai tirano que ditava o ritmo do lar mais como um quartel do que uma família. Vi casamentos vingativos onde os cônjuges ficavam trocando acusações e sempre usando palavras rudes e chulas para machucar e cutucar velhas feridas. Vi casamentos infelizes aos montes.

Discípulos do amor

Imagem
O tema do amor cristão me parece um desafio em dois andares: o da ortodoxia, em cima, e o da “ortopraxia”, no térreo. No andar de cima, encontro o ensinamento de Jesus e de seus apóstolos, inspiradores e desafiadores. Nesse âmbito, ouço Jesus dizer que seremos reconhecidos como seus discípulos se tivermos amor uns pelos outros (Jo 13.35); ouço Paulo orar por nós, para que, pela fé, tenhamos raízes e alicerces no amor (Ef 3.17); ou então João, a dizer que aquele que não ama não sabe nada de Deus (1Jo 4).

FAMÍLIA: LUGAR DA GLÓRIA DE DEUS

Imagem
Nos dias atuais, temos visto a família sendo influenciada por uma série de conceitos prejudiciais aos relacionamentos, abalando sua estrutura. A mídia ensina trapacear, ludibriar, maridos serem infiéis à esposa, esposas serem infiéis ao marido. Não vemos uma novela que coloque em evidência uma família padrão, onde um homem confronte seu colega de trabalho, porque está sendo infiel à esposa. Não vemos, nem veremos, porque cada vez mais a desestruturação familiar será enfocada pelos meios de comunicação. Está aberta, portanto, a oportunidade de optar por não nos tornarmos filhos da desgraça.

O que temos em comum?

Imagem
O que uma viúva, um cego, um paralítico e uma prostituta têm em comum? Jesus, você dirá. Não. Não é isso. O que os une, em suas muitas diferenças, na complexidade de cada um deles, nos variados contextos existenciais em que estão inseridos é a dor, o sofrimento, a angústia. Deles e daqueles que com eles convivem. A dor, e o consequente sofrimento, são linguagens universais. Pessoas que as carregam se identificam com um olhar, sem necessidade de palavras. São realidades que dispensam explicações, e diante das quais nossa pergunta desajeitada “Como você está?” na maioria das vezes cai no vazio de um olhar que nos atravessa.

Não ande por sentimentos, ande por fé

Imagem
Em Jeremias 17.9 lemos que o coração do homem é enganoso. O coração corresponde ao centro das emoções e sentimentos; por isso, ele diz respeito a algo que é mutável. Você já parou para pensar nas tantas vezes que andamos segundo nossos sentimentos? E em tantas ocasiões que esses mesmos sentimentos nos fazem querer parar de caminhar? Quando andamos dessa maneira, somos levados pela frustração, medo, angústia, incerteza…

Deus escreve

Imagem
O Senhor escreve detalhadamente as áreas de nossa vida, e quando entregamos a Ele o nosso coração tudo se torna diferente, isso não significa que lutas e provações serão extintas, mas significa que nossas decisões e definições serão baseadas na Sua vontade e orientação, e dessa forma independente das circunstâncias estaremos no centro da Sua vontade. Alguns textos da Bíblia relatam que Deus escreve, foi assim com Davi e Moisés, os textos descritos demonstram essa atitude do Senhor.

Os governantes precisam temer a Deus

Imagem
A nação brasileira vive uma das maiores crises de sua história desde o Brasil Colônia, desde o Brasil Império e desde o Brasil República. A crise mais profunda que enfrentamos hoje é a crise de integridade, ou seja, a corrupção instalada nos meandros dos poderes constituídos. O Brasil caminha trôpego e cambaleante, enfermo e combalido pela crise moral que feriu mortalmente nosso parlamento e nossos governantes. O país sangra, o povo geme e o futuro torna-se sombrio. A inflação acelera enquanto o índice de crescimento dá marcha ré. O povo já empobrecido e as empresas já pagando mais tributos do que conseguem, ainda são convocados a pagar mais impostos, sem qualquer promessa de retorno. Tudo para pagar os rombos da roubalheira e a gastança perdulária daqueles que se empoleiram no poder para se servir do povo em vez de servirem ao povo.

Quando tudo der errado

Imagem
Todo mundo passa por isto: fases da vida em que tudo dá errado! Um emprego que está sendo um fardo. Um relacionamento ruim. Tantas coisas com as quais nos envolvemos e constatamos ruins para a nossa, mas dizemos que a culpa é de Deus, que Ele não nos ama, que Ele quer que soframos, mas será tudo isso verdade? Vamos meditar por alguns instantes na Palavra que nos dá vida e direção. Se você está vivendo dias maus, observe algumas coisas, a primeira delas é se você tem deixado de buscar ao Senhor em tudo o que você faz. É para momentos assim que Deus deixou em Sua Palavra Provérbios 16. Caso este texto tivesse um título em minha Bíblia, creio que seria: “Evitando dias ruins”.