Consolide suas finanças

finanças
“Vá, venda o azeite e pague suas dívidas” (2 Reis 4.7)
As finanças são parte importante da vida de todas as pessoas. Por causa das finanças, famílias podem ser abaladas, amizades desfeitas e, em alguns casos vidas, serem ceifadas. Mas se as finanças forem bem geridas, de acordo com os propósitos de Deus e os ensinamentos bíblicos, podem abençoar, não somente uma vida ou família, mas toda a comunidade ao seu redor ao gerar renda, emprego e investimentos na área social. Um cristão deve se preocupar com suas finanças? Digo que sim! E, principalmente, com o risco de contrair dívidas e suas consequências diretas e indiretas.
É sabido que nossa nação passa por um momento de instabilidade com a alta do dólar e da inflação. Como vivemos dias instáveis na economia, procure ter um cuidado especial com suas finanças. Não faça financiamentos a longo prazo, com exceção da casa própria, porque o desemprego pode chegar também à sua casa. Como pastor, fico bem triste e preocupado quando vejo pessoas atravessando crises financeiras, em especial, quando alguém não decide parar para tratar o assunto seriamente. Assim, o problema financeiro pode se tornar um problema de caráter.

Para um cristão, pagar dívidas é mais que um dever, é um hábito natural. Pague as suas contas e dívidas sempre na data comprometida. Rolagem de dívida é rolagem de problema. A Bíblia diz em Provérbios 3.27-28: “Quanto lhe for possível, não deixe de fazer o bem a quem dele precisa. Não diga ao seu próximo: ‘Volte amanhã, e eu lhe darei algo’, se pode ajudá-lo hoje”. Não ignore a realidade de que sua falta de pagamento está prejudicando outras pessoas, e, no caso de você fazer parte da igreja, prejudicando todo o Corpo de Cristo. Entenda que você não é uma pessoa completamente livre enquanto tem dívidas. A Bíblia diz em Provérbios 22.7: “O rico domina sobre o pobre; quem toma emprestado é escravo de quem empresta”. Dívidas vencidas tornam-se uma prisão e, ainda, roubam nossa autoridade espiritual e moral diante de Deus e da sociedade.
Se você possui dívidas muito altas, não pode ignorar o problema. São dores que não podem ser negligenciadas, do contrário, vão gerar dores ainda piores; precisam ser encaradas e tratadas. Diante de dívidas, independentemente do montante, um cristão jamais pode cair na acomodação. Devemos orar e trabalhar para liquidar cada uma até o fim. A Bíblia diz em Romanos 13.8: “Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros, pois aquele que ama seu próximo tem cumprido a lei”.
As dívidas não desaparecem sozinhas, sempre geram mais dívidas. Pare de fugir delas, pare de procrastinar sua dor. Pessoas que você ama podem sofrer ainda mais, inclusive seus filhos. Se você não tiver controle dos gastos, pode precisar cortar do orçamento itens básicos, como: plano de saúde e educação.
Em nome de Jesus, para glória Dele e seu bem-estar, decida parar o mais urgente possível; fazer um levantamento da real situação; pedir ajuda às pessoas de Deus, gente que entende do assunto, discretas e sábias; mude o seu estilo de vida e ore a Deus. Acredite que sua realidade vai mudar. Do contrário, tudo que está ruim, pode ficar ainda pior.
Por outro lado, todos vivemos em sociedade urbana e temos contas e compromissos financeiros a serem cumpridos. As mais tradicionais são água e esgoto, energia, aluguel ou prestação de imóvel, medicamentos e despesas gerais normalmente pagas com cartão de crédito. Muitos também possuem educação particular, plano de saúde, financiamentos de veículos etc. A lista varia em quantidades e valores em cada orçamento pessoal ou familiar e depende muito do estilo de vida de cada um. Contudo, todos também sabemos que uma conta a pagar não é uma dívida, mas pode vir a se tornar.
Antes de fazer novas dívidas, lembre-se:
Antes de fazer novas dívidas, lembre-se:
1. Vivemos no país com as mais altas taxas de juros do mundo;
2. Problemas financeiros podem gerar problemas de relacionamento e até mesmo de saúde;
3. Problemas financeiros nos roubam a paz pessoal e doméstica;
4. Problemas financeiros são um mau testemunho cristão para a sociedade;
5. Problemas financeiros nos impedem de tomar decisões espirituais com Deus e com a igreja;
6. Problemas financeiros limitam nosso potencial espiritual;
Para que você saia das dívidas ou não caia novamente nesta armadilha:
1. Seja fiel dizimista e generoso ofertante, não coma suas sementes e nem roube o que pertence ao Senhor. Não podemos pagar dívidas com o que não nos pertence (Atos 5.1-11);
2. Vença a compulsão pelas compras; verifique se você, de fato, precisa daquele produto ou serviço;
3. Evite comprar parcelado;
4. Somente compre o que precisar;
5. Jamais aceite ser fiador de dívidas (Provérbios 22.26);
6. Pague sua fatura de cartão de crédito no dia do vencimento; este é o maior juros do mercado bancário;
7. Procure seus credores para fazer uma negociação, urgentemente, antes que sua dívida aumente mais;
8. Corte os supérfluos do seu orçamento;
9. É melhor se desfazer de um bem agora e liquidar suas dívidas do que, amanhã, perder seu crédito, envergonhar o evangelho e perder outros bens materiais;
10. Elimine contas separadas e trabalhe em conjunto com seu cônjuge; vocês são uma só carne;
11. Ame o trabalho e exerça criatividade. Todo trabalho honesto é honrado;
12. Viva pela fé e da fé.

Por Carlito Paes
Fonte: Lagoinha.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FRASES DO TWITTER DO APÓSTOLO RENÊ TERRA NOVA

AMIZADE VERDADEIRA - I SAMUEL 18:1-5