As sete coisas que Deus odeia no casamento

casados
Esse versículo não está na Bíblia. Apenas aproveitei o estilo do escritor de Provérbios (Pv 6.16-19). Daí, minha esposa e eu, listamos algumas coisas que fazem mal ao casamento e que, com certeza, Deus não gosta. Talvez o leitor concorde com nossa lista. Certamente, você pode fazer a sua lista e será diferente da nossa. Tudo bem. Mas fechamos nesses itens.
■ A IRA. A ira é um veneno para o casamento. Ela destrói o amor, fere o coração da pessoa amada e deixa marcas negativas profundas na relação, mesmo que depois se peça perdão. A ira é uma porta aberta para a violência, palavras rudes e ofensas diversas. O antídoto para a ira é o amor (1Co 13.5). Um marido cristão ou uma esposa cristã que deseja agradar a Deus deve extirpar a ira do coração (Ef 4.31).

■ A MENTIRA. A mentira quebra a confiança que deve haver na relação entre marido e mulher. A Palavra de Deus está repleta de textos que condenam veementemente a mentira. O mais conhecido deles está em João 8.44. As palavras deste versículo foram ditas por Jesus. Para combater a mentira só a verdade, por mais dura que seja, sempre a verdade.
■ O EGOÍSMO. O egoísta só pensa em si mesmo. Um cônjuge egoísta nunca considera a vontade do outro. Não abre mão do restaurante preferido. O bife maior é dele. Seus prazeres e vontades em primeiro lugar. O outro que se arranje. Nas relações sexuais nunca está atento ao prazer do cônjuge. O dinheiro é somente para seu deleite. Nunca pensa em comprar um presentinho melhor para o outro, mas para ele. O egoísmo é obra da carne (Gl 5.20), não um fruto do Espírito Santo.
■ O ORGULHO. Um cônjuge orgulhoso nunca reconhece o seu erro, nunca pede uma opinião, sempre acha que está certo. Quando o orgulho está presente na relação do casal, o errado é sempre o outro. Um cônjuge orgulhoso, por exemplo, nunca olha para si mesmo e tenta encontrar o erro em suas palavras e comportamentos. Nunca pede perdão. O orgulho é irmão gêmeo da arrogância. A humildade, não o orgulho, é o que Deus quer ver no casamento (1Pe 5.5,6).
■■ O ABUSO. O abuso é um verdadeiro explosivo para destruir qualquer relação, especialmente o casamento. Um cônjuge abusador desconhece limites. Acha que tem o poder para todas as coisas. Abusa do poder, usa de violência verbal e física. Abusa na vida sexual e financeira. Abusa na moral. Abusa psicologicamente. Pedro, um discípulo casado, recomendou que o respeito deve ser valorizado em todas as relações (1Pe 2.17).
■ A INDIFERENÇA. A indiferença é prima do egoísmo. Quando a indiferença se instala no coração de um marido ou de uma esposa, o outro não é atendido em suas necessidades físicas, emocionais e espirituais. A esposa que deseja ser abraçada (sem conotação sexual) nunca recebe um abraço. Precisa de um carinho, jamais é atendida nas suas carências emocionais. Na cama é sempre usada como objeto sexual. O marido, que precisa de palavras de afirmação, fica zerado nesse quesito. Precisa ser respeitado, a esposa não está nem aí para essa necessidade masculina. 1Pedro 3.7 fala sobre entendimento. Entender o cônjuge é compreender suas necessidades e satisfazê-las sempre.
■ O DIVÓRCIO. Deus detesta, odeia o divórcio. Está na Bíblia (Ml 2.16). O divórcio destrói o plano original de Deus (Gn 2.21-26). O divórcio é a ruptura de uma aliança, de um pacto, de um compromisso. É resultado da dureza do coração humano (Mt 19.8). O divórcio tem um impacto negativo nas pessoas envolvidas, nos filhos, na sociedade, na igreja de Cristo. Os casais para agradarem deveriam lutar por seus casamentos e não caminharem em direção ao divórcio quando as dificuldades se tornam presentes.

Pr. Gilson Bifano
Fonte: Lagoinha.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AMIZADE VERDADEIRA - I SAMUEL 18:1-5

FRASES DO TWITTER DO APÓSTOLO RENÊ TERRA NOVA