Não deixe que a rebeldia lhe cegue

“Pois a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a iniquidade de idolatria” (1 Samuel 15.23a).
Esses dias estive passando por um processo do Senhor (que acho que será um processo contínuo), em que Ele me mostrou o quanto sou rebelde em certas situações. Contudo, nem imaginava que esta era a raiz do meu comportamento. Achava que questionar era algo da minha personalidade, mas  inofensivo. Descobri, porém, que nem sempre questionar tem uma consequência positiva; nem para mim, nem para os outros. Na maioria dos casos, minhas “discussões” não passavam de argumentos da alma para me desviar de reconhecer muitos dos meus erros.

Deus abriu meus olhos por meio de autoridades, em casa e no trabalho. Quando a mesma orientação veio de diferentes ambientes, percebi que algo estava realmente fora de lugar. Orei, e então Deus me disse que meu coração estava insubmisso, e me mostrou o quanto isso me atrapalhava no dia a dia!
Ao receber uma ordem, sempre tinha uma resposta na ponta da língua, e quando meu argumento não prevalecia, um sentimento muito ruim tomava o meu peito. Era a alma gritando dentro de mim: “Estou certa! Meu jeito é melhor!”, mas na verdade não era!
Quando Deus abriu meus olhos quanto a minha real situação, não fiquei tão surpresa. No fundo já sabia que estava errada na minha conduta, mas não conseguia dar ouvidos ao Espírito, porque também estava sendo desobediente a Ele!
Entretanto, depois que percebi quão ruim meu coração estava, decidi que era tempo de realmente buscar mudança e entender que muitas pessoas sabem mais do que eu, e, mesmo se não soubessem, são autoridades que merecem, no mínimo, o meu respeito.
Isso mudou meu relacionamento com Deus. Ele me mostrou que não sou boa, que preciso de ajuda sempre, e que constantemente passarei por processos para me aperfeiçoar. Vai doer, mas dentro de mim uma nova condição vai surgir, e estarei mais perto do Senhor. Admitir o erro é o primeiro passo que nos leva para mais perto de Deus, mas a mudança sela o nosso arrependimento. Este, por sua vez, nos leva à santificação pelo poder do Espírito Santo, e assim poderemos de fato conhecê-lo.

Por Natália Celle.
Fonte: lagoinha.com 

Comentários

Postagens mais visitadas