Erga a voz!!!

Um grande perigo que corrói a muitos nos nossos dias é a OMISSÃO. Muitos de nós olhamos tanto para o próprio ‘umbigo’ e nem prestamos atenção no outro.

Estamos no início de um novo ano – nada mais propício para revermos conceitos e valores, colocarmos a mão na consciência e pensarmos: ‘Como posso ajudar o meu próximo? Como posso estender a mão?’ Por exemplo, você já se inteirou dos ministérios na igreja que realizam ação social?

Em algumas, existe o ministério de visitas aos enfermos, ministério de evangelismo nos velórios, distribuição de cesta-básica, impactos evangelísticos, nos quais as pessoas recebem atendimento odontológico, corte cabelo, aferição de pressão, instrução jurídica, entre outros.

Muitas denominações também possuem o ministério de apoio aos encarcerados, de apoio as viúvas, às mães solteiras, etc…  

Há uma grande diversidade de lacunas a serem preenchidas, a questão é: passam os anos e a maioria de nós não faz nada. Que sentido tem a vida em viver apenas para si mesmo (a)?O grande mistério da alegria que poucos descobriram é se importar com quem está do lado, é ser útil e isso sem ter a motivação errada!

A Bíblia diz que alguns pregam a Cristo por inveja e rivalidade. “É verdade que alguns pregam a Cristo por inveja e rivalidade, mas outros o fazem de boa vontade.” Filipenses 1.15. 

É verdade que que a Palavra de Deus não volta vazia. Mas, pregar a Cristo por inveja, soberba, vanglória, rivalidade, de nada vale. “Se  não tiver amor, de nada valerá!” I Co 13.3.

A mensagem é um apelo a misericórdia, ao amor verdadeiro que se doa sem querer nada em troca, que REALIZA, porque vê nisso um sentido real, justo…

Existem pessoas dentro da nossa casa, e do lado de fora, precisando do ‘pão espiritual’ e do pão físico também. Muitas vezes estamos tão concentrados nos nossos próprios problemas que olhamos para as pessoas, as vemos sorrir, quando na verdade, elas podem estar passando por um enorme vazio, sofrendo a dor de uma grande ferida! Olhe para o lado e tente enxergar de forma límpida, fuja da superficialidade.

Willian Both, pregador metodista britânico, nasceu em 20 de agosto de 1912, ele fundou o EXÉRCITO DA SALVAÇÃO em 1865, que rapidamente se espalhou por várias partes do mundo por ser um dos maiores distribuidores de ajuda humanitária.  Essas foram as palavras dele  na sua última pregação em junho de 1812: “Enquanto as mulheres chorarem, como choram agora, eu lutarei; Enquanto criancinhas passarem fome, como passam agora, eu lutarei; Enquanto homens passarem pelas prisões, entrando e saindo, entrando e saindo, Como eles o fazem agora, eu lutarei; Enquanto há um bêbado remanescente, Enquanto há uma pobre menina perdida nas ruas, Enquanto restar uma alma que seja nas trevas, sem a luz de Deus – eu lutarei, Eu lutarei até ao último instante.” 

Talvez Deus não tenha chamado você para ser um Willian Both, mas Ele o convida sempre a estender a mão e erguer a voz em favor do seu parente, do seu vizinho, do seu colega de trabalho, do enfermo, do encarcerado… e não é necessário muita coisa, apenas o essencial – AMOR!

Ame orando, ame abraçando, ame sorrindo, ame visitando, ame oferecendo o seu tempo ouvindo um desabafo, ame dando atenção a quem de repente ninguém se importa… ame ofertando …

“Quando eu vi as multidões de pessoas pobres, tantas delas evidentemente sem Deus nem esperança neste mundo, e descobri que elas me ouviram tão prontamente e avidamente, me seguindo da reunião ao ar livre até à tenda, e aceitando, em tantas instâncias, o meu convite para se ajoelharem aos pés do Salvador, naquele mesmo momento, todo meu coração se estendeu a elas. Eu voltei para casa e falei à minha esposa: ‘Ó Kate, eu achei o meu destino! Estes são o povo por quem eu tenho ansiado todos esses anos.’” “Naquela noite”, disse o General, “o Exército de Salvação nasceu.”

Enfim; o maior e mais legítimo ato de amor foi nos foi dado pelo nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Ele sempre ergueu a voz em favor dos que não podiam se defender, em favor dos desamparados. Que o diga a mulher adúltera, a mulher do fluxo de sangue, o paralítico do tanque de Betesda, a viúva de Naim, os dez leprosos (apenas um voltou para agradecer), o homem da mão mirrada, a multidão que foi alimentada por ele (Com apenas 5 pães e 2 peixinhos)…. Ah…, foram tantos milagres movidos pelo AMOR, até o mais  estupefato, estrondoso, inefável ato, outro igual não houve  nem haverá, a MORTE NA CRUZ, por mim e por você! 

ERGA A VOZ!

Renata G. Santana
Comunicação Getsêmani

Comentários

Postagens mais visitadas