Libertação das dívidas

Vivemos num tempo em que falar em dívidas e inadimplência é algo muito comum. A crise na economia mundial, aliada ao fiascos da nossa política econômica interna, afetam diretamente a vida financeira das pessoas. Precisamos entender o que é ser devedor e fazermos uma diferenciação entre as dívidas, que são frutos da ação dos gafanhotos em nossas vidas, e compromissos que assumimos para conquistar e empreender. Mas o Senhor quer nos libertar da prisão das dívidas que têm trazido roubo e derrota ao seu povo. A seguir, vamos aprender que a Bíblia nos orienta a respeito de alguns posicionamentos que abrem portas para as dívidas entrarem.

1ª porta: consumismo
Em Isaías 55.2, o Senhor nos adverte a não gastarmos o nosso dinheiro de maneira leviana e inconsequente. Devemos entender e crer que Deus, como um pai de amor, deseja que seus filhos desfrutem do melhor, mas que para isso devemos caminhar segundo a direção do seu Santo Espírito. O consumismo é uma malignidade que gera dependência nas pessoas dominadas por ela.
Precisam comprar, mesmo que não seja o momento, mesmo que não haja o recurso suficiente para a aquisição. Gera uma ganância de não perder oportunidades. Livre-se do consumismo hoje, em nome de Jesus!
2ª porta: imprudência
Outra porta muito comum que nos conduz ao domínio das dívidas é a imprudência. E a precipitação é sua forte aliada. Quantos não estão completamente endividados por entrarem em projetos falidos: empresas, comércios, carros, casas, etc. Outros ainda estão iludidos por vislumbrar o chamado “dinheiro fácil”. Quando se começa uma construção sem alicerces, ela está fadada à ruína (Lc 14.28-32). O mesmo acontece quando resolvemos tomar decisões sem consultar ao Senhor, nos deixando guiar pela nossa impulsividade e nosso coração enganoso. O Senhor deseja nos dar as empresas, os comércios, as casas, os carros, mas sempre nos colocando sob a Sua dependência, e não confiando apenas em nosso tino para os negócios ou nossa bagagem e experiência profissional. Vamos nos colocar hoje debaixo da palavra de Provérbios 16.1.
3ª porta: infidelidade
Em Malaquias 3.10 vemos claramente este princípio espiritual: se roubamos a Deus, nossos dízimos e ofertas, o devorador está livre para agir em nossas finanças. Vivemos um tempo em que a infidelidade é generalizada, seja na questão profissional, conjugal, sentimental e mesmo na espiritual. Não podemos permitir que essa cadeia demoníaca nos aprisione, por isso, é tempo de fazer um exame das nossas vidas, para cumprirmos todos os nossos votos com o Senhor (Ec 5.4-5), inclusive nos dízimos e ofertas, para que o devorador seja repreendido e possamos viver como “terra deleitosa”.
4ª porta: avareza
A parábola contada por Jesus em Mateus 18.23-25 ilustra uma verdade espiritual de colheita e semeadura: assim como julgamos, seremos julgados, e assim como perdoamos, seremos perdoados. O homem que havia sido perdoado pelo rei de uma grande dívida, não pôde perdoar seus ervo que lhe devia um valor bem menor. Por isso, ele foi entregue aos atormentadores. Temos que entender e viver esse princípio espiritual. Não podemos oprimir aqueles que nos devem se queremos ser habilitados a nos livrar das dívidas que nos oprimem. Muitos estão vivendo sob o julgo dos atormentadores por causa da sua avareza. Só pensam em si mesmos e são incapazes de negociar, dar prazos, enfim, aliviar o jugo de sobre seus devedores (Mt 6.12).
Como ser liberto das dívidas
1º posicionamento – Rever a administração da nossa própria vida, buscando a orientação e as estratégias de Deus, debaixo de novos referenciais (2Rs 4.1 7). Nessa passagem, vemos que havia um referencial de má administração, já que o profeta morreu e deixou sua família numa situação crítica. Agora era o momento da virada.
Aquela viúva pediu orientação do profeta Eliseu e se tornou uma empresária vendedora de azeite. Este é o tempo de reavaliarmos as nossas vidas, nosso votos, nossos compromissos e pedirmos a orientação do Senhor, para começarmos um novo tempo de prosperidade debaixo de novos referenciais de administração das nossas finanças.
2º Posicionamento – A mulher que é descrita em (2Rs 4.2-4) já estava endividada até o pescoço, e o profeta lhe manda pedir emprestado e ficar com mais dívidas? Aquele era o momento de enfrentar a situação e não se envergonhar. As vasilhas seriam o escape e se eles se constrangessem em pedir, não teriam vivido o milagre. Muitas pessoas perdem sua soberania e posicionamento por estarem devendo. Encare seus credores de frente e busque uma orientação do Senhor para negociar. Você viverá livramentos que nem imagina! Seja liberto das dívidas através do posicionamento correto, com base na Palavra de Deus, e viva uma nova vida cheia de fé e prosperidade em Cristo.

Pr. Marcus Gregório
Fonte: http://www.lagoinha.com/

Comentários

Postagens mais visitadas