Cuidado com a saúde nas férias

Desfrute seus dias de descanso sem preocupações.
Férias. Essa palavra soa bem aos ouvidos, principalmente nos meses de julho e janeiro, período em que normalmente toda a família entra em recesso da escola e do trabalho. E essa palavra fica ainda mais prazerosa de se ouvir quando vem acompanhada de outras como, “praia”, “fazenda”, “campo”, “exterior” e “neve”. Para que você aproveite bem os seus dias de descanso e de comunhão com a família e os amigos, seja no Brasil ou em outros países, é necessário ter alguns cuidados básicos com a sua saúde. Sim, nesta época do ano a palavra “cuidado” não tira férias e ainda deve ser redobrada. Isso porque ao sair da sua casa com sua família indo para outro estado, cidade ou  país você entra em contato com climas e alimentos diferentes, que podem ser verdadeiros vilões e causar problemas. Por isso, é de suma importância a prevenção e atenção com alguns detalhes. A seguir, acompanhe as dicas da médica e líder do Ministério Lucas, Ana Rute Bloch, para que você tenha um período de férias feliz e com a saúde protegida.

■ Nesse período de verão em nosso país, é muito importante ingerir líquidos em grande quantidade, comer frutas e verduras adequadamente higienizadas. Evite a exposição ao sol nos horários entre 10 e 16 horas e use protetores como bloqueador solar e chapéu, essa prática é essencial para evitar queimaduras de pele.
■ A época de calor e chuvas é a de maior risco de picadas por mosquitos e, consequentemente, maior risco de transmissão do vírus da Dengue. Além disso, coçar locais picados por insetos pode levar a infecções graves de pele. Assim, é muito importante o uso de repelentes (de pele ou de ambientes), bem como eliminar toda fonte de água parada (pneus, vasos de plantas, entulhos etc).
■ Pais, fiquem atentos às crianças e aos adolescentes, pois normalmente eles não se lembram de ingerir líquidos, principalmente se estão brincando na praia, piscina ou em quadra de esportes, expostos ao sol durante muito tempo. Nessas brincadeiras eles também estão perdendo água pelo suor; por isso, a reposição de líquidos deve ser constante.
■ No período de férias é comum ocorrer a “diarreia do viajante”, que acontece com a ingestão de alimentos contaminados por bactérias e/ou toxinas de bactérias. Aos primeiros sinais de infecção intestinal (aumento no número das evacuações, fezes mais líquidas ou vômitos), é muito importante tomar o soro de reidratação oral, em pequenas quantidades, aos poucos. Esse é um medicamento que pode ser comprado em qualquer farmácia, e é importante para evitar as desidratações. Preferencialmente, não se deve fazer o soro caseiro, que não é completo em seus componentes. Se, porém, persistirem os sintomas ou aparecer febre, é necessário procurar atendimento médico, antes dos sinais de desidratação. Atenção com as crianças pequenas, que se desidratam mais rapidamente.
■ Criança é sempre criança, mesmo quando sabe nadar! Toda atenção é necessária quando crianças estão próximas à piscina, ao rio ou mar. O uso de boias não impede o afogamento, embora diminua o risco. É muito importante que um adulto esteja por perto. Além disso, mergulhos em rios e mares são uma das causas principais de paralisia em jovens, quando há acidentes com a coluna. Conhecer bem o terreno e o local de banho é imprescindível para a segurança.
■ A presença das crianças no ambiente doméstico por períodos mais prolongados, durante as férias escolares, torna a casa um possível lugar de acidentes. Escadas ou locais que possam ser usados como piscinas, fogão/forno, tomadas, aparelhos eletroeletrônicos dentre outras coisas devem ser cuidadosamente observados pelos pais e cuidadores. Medicamentos e produtos de limpeza devem ser guardados em locais trancados e inacessíveis (lembre-se: criança acha fácil!), para não ocorrer ingestão acidental e possível intoxicação. Evite deixar crianças mais velhas cuidando das mais novas sem a presença de um adulto – elas não têm o senso de responsabilidade necessário, nem sabem como agir em casos de acidentes!
■ Ao viajar para outros países é necessário tomar alguns cuidados: 1) se for portador de doença crônica, obtenha liberação do seu médico, e leve os medicamentos  de uso habitual com receituário médico; 2) não viaje na vigência de doenças agudas; 3) preste atenção às exigências sanitárias do país de destino – atualmente, a vacina anti Febre Amarela é a principal exigência. O site da ANVISA (www.anvisa.gov.br/viajante/) fornece os detalhes. Ter o seguro viagem é imprescindível – serviços de saúde em outros países podem ser muito caros, inacessíveis ou insuficientes. Se a viagem for prolongada, fique atento às doenças mais comuns do país de destino, como malária e febre tifoide, para procurar auxílio médico aos primeiros sintomas. Evite viajar com crianças pequenas para países com recursos escassos.
■ É importante que, ao chegar a uma cidade para período de férias, a família logo saiba onde fica o posto de saúde mais próximo, em caso de necessidade. Prudência e vigilância são parceiras de férias felizes. E, antes de qualquer programação de férias, a oração é fundamental, para proteção, bênção e paz de Deus para dias bem-sucedidos.

Fotos: Internet
Por Kátia Brito e Ana Rute Bloch.
Fonte: lagoinha.com

Comentários

Postagens mais visitadas