Como remover a viga de seu olho


A maioria de nós não foi ensinada a pensar que a primeira coisa a fazer é tratar de nossos erros. É mais fácil dizer: “Se meu cônjuge não fosse assim, eu não seria como sou”; “se meu cônjuge não fizesse isso, eu não faria aquilo”; “se meu cônjuge mudasse, eu mudaria”. Casamentos são construídos com base nessa idéia. Nas palavras de uma esposa: “Se meu marido me tratasse com respeito, eu conseguiria ser carinhosa; mas quando ele age como se eu fosse escrava, tenho vontade de desaparecer”. Para dizer a verdade, entendo essa esposa; no entanto, graças à abordagem de “esperar que meu cônjuge mude” milhares de casais chegam a um estado de desespero emocional tão grande que acabam optando pelo divórcio quando um dos cônjuges conclui: “Ele (ou ela) não vai mudar nunca; assim, é melhor eu cair fora”.
Se formos honestos conosco, teremos de admitir que simplesmente esperar não funciona. As poucas mudanças ocorridas são resultantes de manipulação — pressão física ou emocional externa exercida com o objetivo de obrigar o cônjuge a mudar. Infelizmente, a manipulação cria ressentimento, e, depois da mudança, o casamento fica pior do que antes. Se você está passando por isso, como eu passei nos primeiros anos de meu casamento, espero que esteja aberto para outra abordagem, uma forma eficaz de lidar com a situação sem gerar ressentimento.
Não será fácil aprender a lidar primeiro com os próprios erros. Se eu lhe desse uma folha de papel, como costumo fazer com as pessoas que me procuram para aconselhamento, e quinze minutos para anotar as mudanças que gostaria de ver em seu cônjuge, provavelmente a lista seria longa. No entanto, se eu
lhe desse outra folha de papel e mais quinze minutos para fazer uma lista dos próprios defeitos — aquilo que você precisa mudar na maneira de tratar seu cônjuge —, sua lista provavelmente seria curta.
As listas típicas dos maridos relacionam vinte coisas erradas com a esposa e apenas quatro com eles mesmos. As listas das esposas não são muito diferentes. Uma esposa mostrou-me uma lista com dezessete itens de que não gostava no marido e uma folha em branco para as próprias deficiências e comentou: “Pode parecer absurdo, mas não consigo pensar em nada que eu esteja fazendo de errado”.
Fiquei sem palavras. Nunca havia visto uma mulher perfeita. Pensei em chamar minha secretária e pedir para ela trazer a máquina fotográfica e tirar uma foto daquela senhora.
Depois de uns trinta segundos de silêncio, ela falou:
— Eu sei o que ele diria.
— O quê? — perguntei.
— Ele diria que preciso mudar na área sexual. Fora isso, não consigo me lembrar de mais nada.
Fiquei calado, mas pensei comigo mesmo: A senhora pode achar pouco, mas já é uma questão séria…
Não é fácil tirar a viga do próprio fácil tirar a viga do próprio olho, mas deixe-me sugerir três passos que o ajudarão a fazê-lo.olho, mas deixe-me sugerir três passos que o ajudarão a fazê-lo.


PRIMEIRO PASSO: PEÇA AJUDA EXTERNA

A maioria das pessoas não consegue identificar os próprios erros sem ajuda externa. Estamos tão acostumados com nosso modo de pensar e agir que não somos capazes de reconhecer quando ele é disfuncional ou negativo. Eis algumas formas de identificar a viga em seu olho: 
Converse com Deus
Para alguns pode parecer estranho, mas se você deseja entender melhor seu problema, sugiro que peça o conselho de Deus. Você pode orar assim: "Deus, o que  há  de errado comigo? Onde tenho falhado com meu cônjuge? Que palavras ou atitudes têm sido nocivas? Em que tenho me 
omitido? Por favor, mostre-me minhas fraquezas". Orações simples como essa têm sido feitas e respondidas há milhares de anos. Veja esta oração dos Salmos, escrita por volta de 1000 a.C. por Davi, o  segundo rei de Israel: 
"Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece as minhas inquietações. Vê se em minha conduta algo te ofende, e dirige-me pelo 
caminho eterno".
 Quando orarmos desse modo, Deus certamente responderá. 
Se você está pronto, dedique quinze minutos para pedir a Deus que mostre suas fraquezas no casamento e, em seguida, faça uma lista daquilo que lhe vier à mente. 
Eis as listas anotadas por um casal depois de fazer essa oração. (Sugiro 
que você faça a própria lista antes de ler estes exemplos.) 

Marido 
1.   Passo tempo demais assistindo à televisão. 
2.  Preciso ajudar mais no serviço da casa. 
3.  Não uso meu tempo com sabedoria. 
4. Nem sempre sou gentil com ela. 
5.  Não converso com ela até chegarmos a um acordo.
6.  Não ouço suas idéias. 
7.  Passamos pouco tempo juntos. 
8.  Graças à minha atitude, ela tem medo de expressar suas opiniões. 
9.  Não oramos juntos como deveríamos. 

Esposa 
1.  Não lhe dou incentivo. 
2. Coloco minhas necessidades antes das dele. 
3. Às vezes, eu o humilho. 
4. Não sou tão afetuosa quanto deveria. 
5.  Espero que ele faça as coisas à minha maneira. 
6. Às vezes, uso palavras ríspidas e insensíveis. 
7.  Passo tempo demais na frente do computador. 
8.  Não sou sensível à linguagem do amor dele. 
9. Não gosto de admitir quando estou errada. 
10. Não passo tempo suficiente com Deus. 
11. Dedico mais tempo e energia a nosso filho do que a nosso casamento. 
12. Guardo erros do passado e menciono-os quando estamos discutindo. 
13. Preciso parar de olhar os defeitos dele e ver os meus. 

Converse com seus amigos 

Além de conversar com Deus, você também pode conversar com alguns amigos íntimos que têm observado você e seu casamento. 
Diga-lhes que está tentando melhorar o casamento e  precisa de honestidade total da parte deles. Peça-lhes para expressar com franqueza a opinião deles acerca de suas atitudes e de seus comportamentos, especialmente em relação ao cônjuge. Garanta que vocês continuarão sendo amigos, mesmo depois de eles dizerem a verdade — aliás, justamente por causa da amizade, pode confiar na sinceridade deles. Não discuta com seus amigos.  Simplesmente tome nota das observações deles. 
Quando uma esposa fez esse pedido a uma amiga, esta perguntou: 
"Você quer mesmo honestidade total?". Quando a esposa confirmou, a amiga disse: "Você critica seu marido na frente de outras pessoas. Fiquei com pena dele em várias ocasiões. E constrangedor". Pode ser difícil ouvir a verdade (em alguns casos será muito  difícil), mas se você não ouvir, nunca tomará as providências necessárias para mudar e nunca realizará seu objetivo de ter um casamento melhor. 
Um amigo disse a um marido que lhe pediu sua opinião: "A meu ver, você tenta controlar sua esposa. Na semana passada, por  exemplo, ela estava na entrada da igreja conversando com outra senhora e você a interrompeu, dizendo: 'Nós temos de ir', como se fosse o pai dela dando-lhe uma ordem". 
Muitas vezes, os amigos podem ajudá-lo a ver em si mesmo coisas que você jamais imaginaria. Converse com seus pais e com a família de seu cônjuge.
Se você for bastante corajoso e tiver um relacionamento próximo com seus pais, sogros e cunhados, pode pedir a opinião deles também. 
Comece a conversa dizendo que está tentando melhorar seu casamento e procurando as áreas em que  você  precisa mudar. Lembre-se de não responder aos comentários nem começar uma discussão. Simplesmente anote as observações e agradeça a sinceridade. Converse com seu cônjuge. 
Agora, se você não está para brincadeira, peça algumas informações a seu cônjuge. Você pode dizer: "Querido(a), desejo muito melhorar nosso relacionamento. Sei que tenho várias deficiências, mas desejo trabalhar naquilo que é importante para você. Assim, ficaria agradecido(a) se você fizesse uma lista das atitudes ou palavras que o(a) têm incomodado(a) ou das áreas em que tenho sido omisso(a). Quero tratar dessas 
deficiências e tentar agir de forma diferente no futuro". Não discuta sobre a lista de seu cônjuge nem responda aos comentários. Simplesmente receba a informação e agradeça-lhe por ajudá-lo a tornar-se uma pessoa melhor.
No entanto, a confissão de suas faltas não pode ficar só no reconhecimento diante de Deus. Também é necessário confessar à pessoa envolvida — nesse caso, seu cônjuge. Depois de se confessar a Deus, você precisa criar coragem e se confessar a seu cônjuge. Sua confissão pode assumir a seguinte forma: "Estive pensando sobre nós dois e percebi como tenho falhado com você em vários sentidos. Um dia desses, fiz uma lista dessas falhas. Pedi a Deus para me perdoar por elas e, se você tiver algum tempo para me ouvir, gostaria de lhe falar sobre o que eu escrevi e pedir seu perdão. É meu desejo sincero agir de forma diferente no futuro, e creio que preciso começar por aqui". 
A maioria dos cônjuges se mostrará disposta a perdoar quando ouvir uma confissão sincera. Caso tenha ocorrido uma violação grave de seus votos matrimoniais, talvez leve tempo para restaurar a confiança. No entanto, o processo de restauração começa com um ato genuíno de confissão. l João 1:9. 

Se você conversou com seus pais, sogros ou cunhados sobre suas deficiências no casamento, talvez seja apropriado confessar-lhes seus erros também e pedir perdão. Essas confissões são extremamente valiosas no processo de restauração da confiança, do respeito e de um relacionamento saudável com eles. Mesmo que não tenha pedido a opinião dessas pessoas, se você perceber que estão cientes de suas faltas no casamento, pode ser bom se confessar a seus pais e à família de seu cônjuge.


Comentários

Postagens mais visitadas