Vida nova para você

Todos nós gostamos de coisas novas. Casa nova, roupas novas, carro novo, ideias novas. O novo é atraente, mas precisamos ter atenção e cuidado, pois nem tudo que é antigo é ruim, e nem sempre o que é novo é bom. De uma forma geral, somos receptivos ao novo. Steve Jobs já dizia: “se o velho não morrer, o novo não pode surgir”; porém isto não é um conceito exclusivo dele, pois Jesus já deixou em seu testamento para nós este princípio de vida: “Digo-lhes verdadeiramente que, se o grão de trigo não cair na terra e não morrer, continuará ele só. Mas se morrer, dará muito fruto.” (João 12.24). Com essa realidade, desejo expandir este conceito para nossa vida de forma mais ampla. Por que viver uma vida velha e desgastada, se podemos trocar por uma nova? Isto é possível? Como recomeçar?

Talvez não nos demos conta que dentre todos os milagres providenciados por Deus à humanidade, sem dúvida, o maior de todos é a conversão. É o começar de novo, deixar o velho para trás e renascer! Muitos se questionam como alguém que professava o ateísmo, a fé em outro tipo de doutrina ou filosofia possa posicionar-se quanto ao sacrifício do Senhor, como forma perfeita de redenção de pecados e em consequência, uma vida perdoada na eternidade com Deus. E esta nova vida é para todos!
Se você está cansado de viver sua velha vida, não precisa dar fim a ela, você pode decidir pela fé, nascer de novo e assim viver uma vida nova com Cristo! Como? Jesus explicou: “Em resposta, Jesus declarou: Digo-lhe a verdade: Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo. Perguntou Nicodemos: Como alguém pode nascer, sendo velho? É claro que não pode entrar pela segunda vez no ventre de sua mãe e renascer! Respondeu Jesus: Digo-lhe a verdade: Ninguém pode entrar no Reino de Deus, se não nascer da água e do Espírito. O que nasce da carne é carne, mas o que nasce do Espírito é espírito. Não se surpreenda pelo fato de eu ter dito: É necessário que vocês nasçam de novo” (João 3.3-7).
Cada vez mais pessoas de todas as idades decidem viver esta nova vida, pelo ato da conversão ao evangelho! Realmente é algo tremendo e inexplicável falar da conversão, pois para cada pessoa, a sua definição acontece de maneira diferente, ficando a sua generalização complicada, quanto à manifestação de um fenômeno que não pode ser estudado. É o produto da experiência chamada fé que se manifesta de forma pessoal para cada pessoa.
Pessoas que se convertem ao evangelho de Jesus aprendem de Deus e não conseguem mais adorar aquilo que não é Deus, tendo a sua vida espiritual alicerçada na pessoa do Senhor Jesus Cristo, que revela àqueles que chamam, a nova identidade estabelecida segundo o propósito do Reino de Deus, mediante a revelação da sua Palavra. Enfim, não somos mais aquilo que éramos quando homens naturais, agora todos somos servos que recebem dons, indiferente à nossa realidade anterior a conversão. Somos aquilo que o Espírito determina, em função do corpo chamado Igreja. Quando decidimos receber a vida nova em Cristo, também recebemos uma nova família espiritual para crescermos que é a Igreja.
Antes de conhecer Jesus de forma pessoal, todos nós estávamos mortos espiritualmente, nada poderíamos fazer para mudar a nossa situação. Estávamos vivos na carne, porém separados de Deus em espírito, pois apesar de bons e praticando boas obras, estávamos mortos em delitos e pecados. Essa ideia torna todo ser humano, sem exceção, indigno diante de Deus, ninguém estaria em posição de justiça para que Deus pudesse dizer que não éramos tão depravados assim. Esta percepção nos mostra que a depravação da humanidade é total, não cabendo a ninguém o direito de exigir a benevolência de Deus.
O chamado de Deus não estabelece a condenação humana e sim a salvação da criação que estava perdida, Deus por pura misericórdia, sem mérito algum dos perdidos, tira do meio da iniquidade alguns. Esse ato pode ser considerado loucura para os sábios e entendidos deste mundo, pois confundirão por meio da Palavra de vida, que a nova vida em Deus produz uma retórica que não será experimentada na sabedoria deste mundo, mas em uma apologia de experimentação em um conhecimento que vem do alto, acima dos principados e potestades, deixando o presente século confuso, pelo conhecimento de uma realidade que o homem natural não pode com os olhos humanos contemplar. A fé cristã não é um agente de condenação de pessoas, mas de salvação de vidas!
Deus coloca fé onde havia incredulidade, manifestando a graça, que além de favor imerecido é o agente instalado nessa nova criatura, que nos faz aptos para viver as boas obras, servindo ao nosso próximo. A nova vida que provém de Deus é uma experiência de fé, em que a teologia aplicada reconhece a queda humana e a soberania de Deus, como doutrinas de vida. Onde Deus movido por pura graça salva do pecado aquilo que estava perdido, cheio de amor e misericórdia. Sem contar as obras humanas, livra do pecado aquele que por si, teria apenas como salário a condenação, mostrando assim que o poder procede apenas de Deus, que é infinito em amor.
Amor que só pode ser experimentado quando nascemos de Deus e nos tornamos seus filhos, por méritos do sacrifício doado na cruz pelo Senhor Jesus àqueles que por pura graça ouviram o chamado da morte para a vida. Portanto, vida nova para você também.
Pense bem nisto!
Carlito Paes.

Fonte: lagoinha.com

Comentários

Postagens mais visitadas